DOSSIER PRIVATIZAÇÕES

Apelo à união dos trabalhadores dos transportes

Foi criado por trabalhadores das empresas públicas de transporte um movimento que se destina a combater os processos de privatização e subconcessão a que essas empresas se encontram sujeitas.

Como sabemos, estes processos destinam-se a transferir recursos públicos para mãos privadas com evidente prejuízo do serviço público de transporte e dos direitos dos trabalhadores dessas empresas. O governo tenta, a pouco tempo do fim do seu mandato, concluir os processos de privatização das empresas do sector dos transportes (TAP, Metro, Carris, Transtejo/Soflusa, EMEF, CP-Carga).

Não há mais tempo a perder no combate a este processo. Por isso, este movimento de trabalhadores, iniciado a partir dos locais de trabalho, visa a criação de um movimento aberto e unitário que pressione as ORT a dar um passo em frente.

Esse passo tem como sentido principal a unificação da luta dos trabalhadores de todas essas empresas, ultrapassando divisões sindicais e agendas partidárias, em torno de dois objectivos centrais: a realização de uma grande campanha de esclarecimento público sobre o significado de todo este processo e a realização de uma acção de luta, conjunta, simultânea e de grande impacto. Assim, propõe-se recolher a adesão dos trabalhadores a esta proposta de luta, tendo lançado um abaixo-assinado e um Manifesto que reproduzimos mais abaixo (pode ser descarregado em formato pdf).


AMANHÃ SERÁ TARDE DEMAIS

Apelo aos Trabalhadores das empresas públicas de transporte

Somos Trabalhadores das empresas públicas de transporte que estão sujeitas a processos de privatização e subconcessão. Neste momento, as empresas em que trabalhamos estão à beira do abismo e a nossa situação futura é de total incerteza. Chegámos ao fim da linha e por isso, agora, esta questão diz respeito a todos e a cada um de nós. Não desvalorizamos as lutas já travadas mas precisamos de fazer mais. Com mais gente, mais união e mais determinação.

EMPRESAS DESMANTELADAS! SALÁRIOS E DIREITOS CORTADOS! SERVIÇO PÚBLICO EM CAUSA! TUDO EM FAVOR DO NEGÓCIO PRIVADO E DAS PPPs

O destino das nossas empresas há muito que anda a ser escrito. O Estado deixou de as financiar, como deveria ser sua obrigação, obrigando-as a recorrer a empréstimos à banca, pondo em causa, com esta estratégia criminosa, o serviço público prestado por essas empresas que assim foram asfixiadas financeiramente. As melhorias nos resultados operacionais, conseguidas exclusivamente à custa dos cortes nos direitos e nos salários dos trabalhadores e da total degradação do serviço social prestado aos utentes, serviu essencialmente para encher os cofres da banca. Transferir recursos do público para o privado e baixar os custos do trabalho é o desígnio principal deste poder e deste governo.

O QUE NOS TRARIA A GESTÃO PRIVADA

Este quadro é uma pequena amostra do que será a gestão privada que, a acontecer, reservará, para nós, um futuro negro marcado pela certeza dos despedimentos e da redução de salários e direitos; e para a população, um agravamento da degradação do serviço público. Tudo sempre em defesa da apropriação privada da riqueza e não do bem comum.

TEMOS A FORÇA PARA MUDAR

Somos nós trabalhadores destas empresas, nós que as construímos e lhes damos vida, que temos a força para dizer um NÃO a tudo isto. Por isso propomos:

1º A realização de uma grande campanha de esclarecimento público não só sobre a justeza da luta que travamos em defesa dos nossos legítimos direitos, mas também sobre os prejuízos que estas privatizações iriam acarretar para toda a população;

2º A realização de uma acção de luta, conjunta e simultânea, de grande impacto que una os Trabalhadores das empresas de transporte público e que seja demonstrativa da nossa determinação em derrotar este processo criminoso.

Propomos, ainda, que as Organizações Representativas dos Trabalhadores convoquem uma concentração/plenário dos trabalhadores de todas as empresas públicas de transporte, para debater em conjunto o desenvolvimento deste processo de luta.

Queremos deixar bem claro que nada nos move contra as ORTs, bem pelo contrário, nem menosprezamos as acções que têm empreendido e nas quais temos participado activamente. Julgamos, contudo, que a gravidade do momento exige que ultrapassemos as divisões existentes de modo a que todos possamos contribuir para fortalecer um movimento unido contra o nosso inimigo comum. Daí fazermos um apelo a todos para se juntarem a nós, ajudando a esclarecer, debatendo propostas e participando na luta.
Se estás de acordo com as nossas razões, compromete-te nesta acção colectiva!

Está mais do que na hora!!!

Movimento de Trabalhadores dos Transportes Públicos


 

Comments are closed.

Powered by: Wordpress